segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Nascido dos pés de Garrincha, o grito de Olé

Um momento realmente futebolístico. O protagonista é ninguém menos que Garrincha. Precisa mais? Há exatos 51 anos, o craque arrancava gritos de ‘olé’ de torcedores mexicanos que assistiam a uma partida entre Botafogo x River Plate na Cidade do México. O genial Ruy Castro, autor da biografia de Garrincha - Estrela Solitária, um brasileiro chamado Garrincha -, conta a história com habilidade semelhante.

“O jogo foi Botafogo x River Plate, a 20 de fevereiro de 1958. O River era a própria seleção argentina, com dez de seus titulares, entre os quais o goleiro Carrizo, o volante Nestor Rossi, o atacante Labruna e o lateral-esquerdo Vairo. Seu cachê era de 10 mil dólares por partida - o do Botafogo, 2 mil. Mas essa disparidade dos valores não se refletiu em campo: com Garrincha, Didi e Nílton Santos, o futebol do Botafogo já era igual ou maior que o do River. Tanto que a partida, duríssima, terminou em 1 x 1. Mas o que os outros vinte homens fizeram em campo foi irrelevante - para a torcida mexicana, o jogo consistiu no inacreditável e indescritível baile de Garrincha em Vairo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário